Este espetáculo faz uma reflexão sobre o crescimento de dispositivos autômatos na sociedade contemporânea e a distância física que tem sido imposta neste novo cotidiano. O trabalho volta-se para discutir sobre como o afeto, as emoções e as relações interpessoais passaram a ser vivenciadas e administradas nessa cultura do virtual, a qual reposiciona a compreensão sobre a presença e a ausência, sobre o tato e o contato em contrapartida ao visual. Passamos grande parte do nosso tempo em contato com dispositivos digitais que extendem, reduzem, lançam, transportam nossas vidas para outras dimensões. Isso tudo levando em consideração ainda que um computador é um telefone celular.

A tecnologia está cada vez mais móvel e miniaturizada. Vivemos no mundo dos avatares do video game, do GPS, da videoconferência, das “vídeo-conversas” pelo skype ou msn, das comunidades virtuais que ao mesmo tempo que cabem numa tela de computador são do tamanho do mundo (ou maior já que o todo é maior do que a soma de suas partes). São esses redimensionamentos e transformações da vida contemporânea norteada pela Cultura Digital que o espetáculo de Arte da Telepresença em dança com mediação tecnológica e-PORMUNDOS AFETO pretende abordar. A obra t raz os questionamentos sobre as mudanças no nosso comportamento, no nosso entendimento sobre perto e longe, presente e ausente, junto e separado.

Dança telemática interliga Brasil e Espanha

A distância entre Brasil e Espanha ficou menor, no dia 16/6, com o espetáculo de dança telemática e-Pormundos Afeto, onde arte e tecnologia se unem para dar vida a uma apresentação sincronizada com dançarinos dos dois países. A exibição fez parte do workshop de produção de artes performáticas em rede, coordenado pela Internet2, rede acadêmica norte-americana, e a TERENA, uma associação trans-europeia de redes de ensino e pesquisa.

Participaram do espetáculo três bailarinos, dois brasileiros e um espanhol, que interagiram entre si produzindo uma fusão ritmada com imagens abstratas exibidas nos telões que compõem o palco.

 

No Brasil, a exibição foi realizada na Biblioteca Nacional de Brasília (BNB) com o Grupo Poéticas Tecnológicas: corpo imagem (www.poeticatecnologica.ufba.br), coordenado por Ivani Santana. Na Espanha, a apresentação aconteceu no Gran Teatre Del Liceu, em Barcelona, com a participação do grupo catalão Konic (koniclab.info), pioneiro em dança com mediação tecnológica no país. O espetáculo foi seguido por uma videoconferência, com objetivo de discutir sobre a produção artística em rede, com foco nos projetos atualmente desenvolvidos na área de artes cênicas.

O espetáculo e-Pormundos Afeto foi montado no âmbito de um dos Grupos de Trabalho (GTs) da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), organização que coordena a Internet nacional acadêmica brasileira. Desenvolvido entre 2009 e 2010, o GT Mídias Digitais e Artes (GT-MDA) (www.lavid.ufpb.br/gtmda) criou a Arthron, uma ferramenta para suporte à realização de eventos midiáticos distribuídos, que conecta em tempo real pessoas e mídias digitais através de redes de computadores de alta capacidade de transmissão. A conexão entre Brasília-Barcelona usada no espetáculo contou com o apoio da RNP e utilizou a Arthron.